Via Senior

Podemos ajudá-lo?

Ligue (+351) 211 336 440

A alimentação e a saúde Oral

Partilhar

O estado nutricional e a saúde oral influenciam-se. Descubra de que forma e conheça ainda os três tipos de alimentos que melhor e pior fazem aos dentes.

A alimentação tem um papel fundamental na promoção da saúde oral. Já uma saúde oral incorreta ou insuficiente também se poderá refletir num pior estado nutricional, ao condicionar diretamente o processo de ingestão: quer por falta de peças dentárias ou dor, quer pela redução da produção de saliva ou alteração de paladar. Todos estes fatores resultam numa redução da ingestão alimentar, provocando défices nutricionais.

Uma alimentação desequilibrada ou insuficiente é considerada um fator de risco para a doença periodontal. Além de promover e/ou prevenir este tipo de problemas, a nutrição interfere também no processo de desenvolvimento do dente, na integridade da gengiva e da mucosa e na força óssea do maxilar.

As cáries e a alimentação:
A cárie dentária é a doença infeciosa mais frequente da cavidade oral. Esta condição é causada por bactérias presentes na cavidade oral, que produzem substâncias ácidas, levando à desmineralização gradual do dente. Deste modo, a composição dos alimentos que integram a alimentação diária influência diretamente o aparecimento de cáries, uma vez que estes irão condicionar o pH da cavidade oral e, consequentemente, a atividade microbiana.

Além disso, indivíduos com perturbações do comportamento alimentar, como anorexia nervosa e bulimia nervosa, têm uma maior probabilidade de desenvolvimento de cáries e erosão dentária, devido ao tipo de alimentos ingeridos associados ou não a comportamentos compensatórios, como vómitos, uso abusivo de laxantes ou diuréticos.
Açúcares fermentáveis:
Os açúcares fermentáveis são metabolizados pelas bactérias presentes na cavidade oral e conduzem à formação de substâncias ácidas, que diminuem o pH salivar, promovendo a desmineralização do dente. Este processo irá manter-se até a saliva elevar o pH oral.

Assim, podemos concluir que um pH alcalino apresenta um efeito protetor contra a formação de cáries dentárias, enquanto que um pH acídico aumenta a suscetibilidade do dente à cárie.
Alimentos cariogénicos, cariostáticos e anticariogénicos:
Os alimentos podem ser divididos em três grupos: cariogénicos, cariostáticos e anticariogénicos.

1. Cariogénicos
Os alimentos cariogénicos têm um maior teor de açúcares fermentáveis, estimulando o processo de desenvolvimento de cárie dentária. Neste grupo estão incluídos sumos de frutas, refrigerantes e bebidas açucaradas, sobremesas, bolos de pastelaria, bolachas e todas as formas de açúcar, como o mel, açúcar mascavado ou xaropes.

2. Cariostáticos
Os alimentos que não contribuem para o processo de formação de cárie dentária são chamados de alimentos cariostáticos. Estes alimentos não são metabolizados pelas bactérias, logo não provocam alterações no pH oral. Alimentos como os ovos, a carne, o pescado, as hortícolas e as gorduras estão incluídos neste grupo de alimentos.

3. Anticariogénicos
Por último, os alimentos anticariogénicos demonstram um efeito protetor quando consumidos após os cariogénicos, uma vez que aumentam o pH oral. Integram este grupo de alimentos os laticínios, como o queijo, o leite e os iogurtes não açucarados. Além disso, estes alimentos têm um elevado teor de cálcio, que irá favorecer a mineralização dentária.

10 dicas úteis na prevenção de cáries dentárias:

1. Manter uma boa higiene oral é fundamental;
2. Na impossibilidade de escovar os dentes, enxaguar a boca após as refeições;
3. Combinar alimentos cariogénicos com alimentos anticariogénicos;
4. Incluir diariamente na alimentação vegetais e hortícolas, uma vez que são ricos em água, fibra, vitaminas e minerais;
5. Ingerir laticínios, como queijo, leite e iogurtes sem adição de açúcares;
6. Consumir fruta fresca, preferencialmente com casca;
7. Preferir cereais integrais pelo seu maior teor em fibra em detrimento de alimentos com farinhas refinadas;
8. Limitar a ingestão de alimentos com um elevado teor de açúcar, como bolos, bolachas e cereais de pequeno-almoço açucarados;
9. Restringir a ingestão de sumos e refrigerantes a ocasiões festivas;
10. Promover a ingestão de água ao longo do dia.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/prevencao-estilo-vida/nutricao-dieta/alimentacao-saude-oral

×

VIA SÉNIOR - Um futuro lado a lado

×
Ligue-nos 211 336 440